We bring to your attention a new website where you can buy kamagra jelly australia at a low price with fast delivery to Australia.

Seb-ecologia.org.br

AO AMBIENTAL DA COMUNIDADE DO INSTITUTO FEDERAL DE
ENCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO - IFPE, CAMPUS
RECIFE, PE, BRASIL.
ao Latu Sensu , Av. Prof. Lu´ıs Freire, n➸ 500, Cidade Universit´aria, Recife, PE, Brasil. Fone n´ INTRODUC
OBJETIVOS
O presente trabalho teve como objetivo realizar um di- inserido no ambiente, pode ser definida como percep¸ sores e alunos, visando fornecer informa¸ pois a sociedade tem vivido isolada em ambientes completa- ao de um Programa de Reciclagem na Institui¸ mente constru´ıdos, perdendo quase que totalmente sua sen-sibilidade e responsabilidade pelo ambiente natural (Palma,2005).
MATERIAL E M ´
O presente estudo foi quantitativo explorat´ ao as mais desafiadoras tarefas da Educa¸ ecnico - administrativos e alunos. Inicial- & Vestena, 2003). Assim, o estudo da percep¸ arios foram disponibilizados nos locais de torna - se importante para uma melhor compreens˜ ao de pessoal - Unidade de Turnos (UT), Sala oes entre o homem e o ambiente, suas expec- dos Professores, Biblioteca, Departamento de Desenvolvi- mento de Recursos Humanos (DDRH) e restaurante Gula, de 19 de novembro a 10 de dezembro de 2007, a fim de mente, visando atingir ou incrementar o n´ ambientais, contribuir para que a comunidade seja estimu- dos segmentos, no per´ıodo de 07 a 30 de abril de 2008.
lada a participar do desenvolvimento sustent´ O quantitativo populacional dos segmentos t´ sar, reprojetar e reestruturar seus valores (Palma, 2005).
istrativo e professor foi fornecido pelo DDRH, e referem - sesomente ao quadro de efetivos do Campus Recife. O quan- titativo de alunos foi fornecido pela Coordena¸ emico-CGCA, referente ao total de matricu- etica ambiental nasce dos conhecimentos cient´ıficos e lados no primeiro semestre de 2008, no Campus Recife.
O dimensionamento amostral esteve de acordo com o re- comendado por Fonseca e Martins (1996) para popula¸ finitas onde, de um total populacional de 5.879 pessoas, aria uma amostra m´ınima de 181 entrevista- ecnico - administrativos, 59 professores e 69 ater educativo multi e interdisciplinar pode ser um instrumento fundamental da pol´ıtica de gest˜ Anais do IX Congresso de Ecologia do Brasil, 13 a 17 de Setembro de 2009, S˜ ao dos entrevistados neste trabalho est´ orio e Espinosa (2004), que relatam como principais Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e biente (SECTMA) junto aos pernambucanos (Pernambuco, sentam menor quantidade de lixo coletado e adequadamente ao 3 “A coleta seletiva de lixo minimiza, em piladas de acordo com os segmentos e as quest˜ grande parte, problemas como desmatamento, alagamentos tigadas, buscando - se estabelecer o perfil da comunidade tivos (n=52; 96,3%) como entre professores (n=41; 89,1%) ealunos (n=128; 93,4%). Na pesquisa realizada por Milar´ al., (2005) em uma escola de ensino fundamental do interior RESULTADOS
percebem que o lixo causa problemas, e que a reciclagem ´ Foram respondidos, espontaneamente, 103 (43,1%) ques- (43,5%) professores e 70 (50,4%) alunos, e 136 (56,9%) oes ambientais devem ser uma das prioridades de inves- foram aplicados individualmente, entre 41 (75,9%), 26 ecnico - administrativos, 42 (91,3%) profes- alunos, respectivamente. O segmento dos alunos alcan¸ sores e 126 (92,0%) alunos. Entretanto, em 2002, os inves- umero amostral dimensionado (n=69) atrav´ timentos em meio ambiente no Brasil, principalmente para aneo (n=70). Como este apresenta maior n´ minimizar os problemas ambientais urbanos, totalizaram oes, o que representa somente 0,5% do Produto em ocorreu na pesquisa de Palma (2005). Para o seg- Interno Bruto (PIB) brasileiro, pois a maioria dos governos mento dos docentes este ficou abaixo (n=46) do dimen- ao trazer retorno imediato (Rose, 2006).
ario na hora da abordagem, muitas vezes n˜ ao dos entrevistados por curso foram abrangi- dos 14 diferentes cursos, dentre os 17 oferecidos pelo Cam- problemas”, mais de 90% dos entrevistados responderam a os mais representativos (28,3%), seguidos pelos do curso ministrativos, 45 (97,8%) professores e 130 (94,9%) alunos, de Qu´ımica (10,9%). Quanto aos alunos, o maior n´ de entrevistados pertence ao curso de Qu´ımica (17,5%), seguido por Saneamento Ambiental (11,7%).
a interferindo na disponibilidade dos recursos natu- ambiental ao longo do curso quando quest˜ ecnico - administrativos, 45 (97,8%) pro- fessores e 125 (91,2%) alunos responderam como verdadeira.
ao 6 “A responsabilidade para resolver ou min- De acordo com Carvalho (2001), a racionaliza¸ aticas e devem ser fundamentais no desempenho am- aos” todos os segmentos atribu´ıram - na, principal- biental. O combate ao desperd´ıcio, aos excessos improdu- istrativos, 46 (100,0%) professores e 128 (93,4%) alunos. Na rante muito tempo, conviveu - se com uma cultura equivo- dos os segmentos da sociedade, civil e poder p´ em observado por Silva e Melo (2007) em seu ao 2 “O lixo descartado no ambiente contam- trabalho sobre EA na escola, estes dados refletem a respon- sabilidade individual e coletiva para com o tema.
45 (97,8%) professores e 136 (99,3%) alunos responderam como verdadeira, podendo - se perceber que h´ mento de que os res´ıduos descartados no ambiente s˜ separar o lixo para ser reciclado; eliminar o desperd´ıcio de agua; e/ou diminuir o consumo de energia”, 35 (64,8%) ario do observado por Palma (2005), onde os ecnico - administrativos marcaram as trˆ por 5 (9,3%) que optaram por eliminar o desperd´ıcio de Anais do IX Congresso de Ecologia do Brasil, 13 a 17 de Setembro de 2009, S˜ agua. Entre os professores, 39 (84,8%) marcaram as trˆ oes, seguida por 2 (4,3%) que optaram por duas alterna- ente e ecologia com a escolaridade, a maioria dos t´ tivas diferentes. Quanto aos alunos, 61 (44,5%) marcaram oes, seguidos por 29 (21,2%) que optaram por sideraram bem informados e 12 (42,9%) pouco informados.
Entre os professores, a maioria classificou - se como bem informada em todos os n´ıveis de instru¸ bem informados entre os graduados, 09 (90,0%) entre os que (60,0%) entre os doutores. Entre os alunos com n´ıvel m´ 2005). Entretanto, segundo Carvalho (2001), entre a in- 32 (42,7%) consideraram - se pouco informado e 37 (50,0%) aram - se pouco informado e 16 (50,0%) bem informado; ao, 10 (62,5%) consideraram - se bem infor- portamentos, mas sim, possibilitar condi¸ mados. A escolaridade foi abordada por ser um Indicador - administrativos, 24 (52,2%) professores e 102 (74,5%) ecnico - administrativos e professores.
Entretanto entre os alunos, os de n´ıvel m´ sideraram - se mais mal informados e pouco informados do em MG, alunos e professores foram orientados terem con- hecimento da cadeia produtiva, o que produziu mudan¸ 39, que os alunos entrevistados nesta pesquisa com menor orica (Gazzinelli et al., 001). Assim, fica clara n´ıvel de escolaridade possuem menos conhecimentos sobre a necessidade de se promover meios para a conscientiza¸ da comunidade na pol´ıtica dos 3Rs.
CONCLUS ˜
44 (95,7%) professores e 106 (77,4%) alunos responderamafirmativamente. A importˆ A comunidade entrevistada percebe que atitudes cotidianas interferem na qualidade ambiental, bem como demonstrou entais onde, por meio da EA, podem ser desenvolvidas a¸ ergia e separar o lixo para ser reciclado, estando apta aengajar - se em a¸ No entanto, seus conhecimentos podem ser aprofundados, principalmente quanto ao princ´ıpio dos 3Rs, atrav´ mal informado, mal informado, pouco informado, bem in- formado ou muito bem informado?”, 29 (53,7%) t´ administrativos, 34 (73,9%) professores e 67 (48,9%) alunos ao entenda - se como multiplicadora de a¸ consideraram - se bem informados; pouco informados foram ecnico - administrativos, 5 (10,9%) professores oes concretas de um Programa de Reciclagem, j´ e 55 (40,1%) alunos; e, muito bem informado, 1 (1,9%), 5 em direitos e deveres para com o meio ambiente ecnico - administrativos e professores se considerou bem informados e, entre os alunos, a maioria entende - se bemou pouco informados, diferentemente da consulta realizada com os pernambucanos pela SECTMA (Pernambuco, 2003),onde pelo menos 1/3 dos entrevistados considerou - se muito mal ou mal informados sobre meio ambiente e ecologia.
tos ambientais na cadeia produtiva de papel e celulose. 127 ria (n=25; 71,4%) considera - se bem informado e est˜ Universidade Federal de Santa Catarina, Florian´ distribu´ıdos em praticamente todos os cursos.
Castro, A.A.A.S.; Santos, D.B.; Melo, M.L.; San- tos, N. & Castro Filho, O.J.M. 2008. Uma avalia¸ informados e bem informados, representando 48 (35,0%) e 56 (40,9%) entrevistados, respectivamente, tamb´ da UFRN. In: Fenacam, Natal, RN. Apresenta¸ tribu´ıdos na maioria dos cursos. Assim, n˜ ecnicos. Natal, Rio Grande do Norte, junho 2008.
que, entre os entrevistados no IFPE, o n´ıvel de informa¸ que considera possuir esteja diretamente relacionado com o Coimbra, J.A.A. 2004. Linguagem e percep¸ Anais do IX Congresso de Ecologia do Brasil, 13 a 17 de Setembro de 2009, S˜ ao ambiental. Barueri, SP: Manole. p. 525 - Oliveira, O.M.M.F. & Marques, R.N. 2005.
ao ambiental e art´ıstica: uma parceria que deu certo.
Fernandes, R.S.; Souza, V.J.; Pelissari, V.B. & In: IV Encontro Ibero - Americano de Coletivos Escolares e Redes de Professores que Fazem Investiga¸ areas educacional, social e ambiental.
urgica e de Materiais). Universidade Federal do Rio roosevelt fernandes.pdf >. Acesso em 18 jan. 2007.
Grande do Sul, Porto Alegre.
Pernambuco (Estado).
Fonseca, J.S. & Martins, G.A. 1996. Curso de Es- Tecnologia e Meio Ambiente-SECTMA. Pesquisa: O que os pernambucanos pensam sobre meio ambiente, desenvolvi- Gazzinelli M.F.; Lopes A.; Pereira W. & Gazzinelli Rose, R. 2006. Mercado Brasileiro Ambiental-Alguns as- pectos. Dispon´ıvel em: <http://www.compam.com.br/artigo mercadocomentario.htm >. Acesso: 02 jun. 2008.
Sartori, R.V. & Reis, D.R. 2007.
XXVII Encontro Nacional de Engenharia de Produ¸ Silva, L.R. & Melo, L.B. 2007. Educa¸ recursosnaturais/ids/ids2008.pdf >.
orio, J.A.S. & Espinosa, D.C.R. 2004. Controle Ambiental de Res´ıduos. In: Philippi Jr, A.; Rom´ Vestena, C.L.B. & Vestena, L.R. 2003. Percep¸ ao ambiental no ensino fundamental das s´ e, T.; Moura, A.C.S.; Silva, C.S.; Schiavetto, ais do sudoeste paranaense. Analecta , Guarapuava, v. 4, M.G.; Cardoso, P.; Rocha, Z.M.; Oliveira, L.A.A.; Anais do IX Congresso de Ecologia do Brasil, 13 a 17 de Setembro de 2009, S˜

Source: http://www.seb-ecologia.org.br/2009/resumos_ixceb/1051.pdf

Untitled

An Interactive Computer Kiosk Module for the Treatment of Recurrent UncomplicatedEva M. Aagaard, MD,1 Paul Nadler, MD,1 Joshua Adler, MD,1 Judith Maselli, MSPH,1Ralph Gonzales, MD, MSPH11Division of General Internal Medicine, Department of Medicine, University of California, San Francisco, CA, USA. OBJECTIVE: To validate and implement a computer module for thecare clinician or adequate access t

04_daray.pmd

ALCMEON, 67, año XXI, vol. 17, Nº 3, abril de 2012 Tabla 7. Tratamientos correctivos propuestos para la disfunción sexual producida por anti- depresivos (modificado de Licitsyna y colaboradores25). Tratamientos correctivos Dosis de 50-100 mg, 1 hora antes de la relación Eficaz en problemas del deseo o de la excitación, en la disfunción eréctil, y en casos de orgasmo retardado Do

Copyright © 2010-2014 Medical Science